FSF e STERTS alinham atuação de repórteres em jogos do Sergipão 2022

FSF e STERTS alinham atuação de repórteres em jogos do Sergipão 2022

No início da tarde desta segunda-feira, 21, na sala da presidência da Federação Sergipana de Futebol (FSF), foi realizada uma reunião para alinhar conduta de profissionais da imprensa esportiva atendendo protocolo de combate à Covid-19 e preservando o direito dos profissionais, que trabalham nos dias de jogos do Campeonato Sergipano da Série A1, de realizar os trabalhos de reportagens pós jogo, fato que não é permitido, ficando definido que para nenhuma emissora de rádio, sem privilégios, apenas para o canal de televisão que detém os direitos de transmissão.
O fato levado pelo Sindicato dos Radialistas, exposto no encontro, é que vinham ocorrendo alguns episódios, mediante a não permissão de realização dos trabalhos pelos profissionais de rádio que exercem a função de repórteres de campo ao término do jogo, onde somente uma emissora de rádio tinha o direito a fazer as entrevistas, enquanto às demais eram proibidas, gerando descontentamentos e desencontros entre o profissional de comunicação e representante da Federação.
Após manifestação exposta pelos dirigentes sindicais, o presidente da FSF, Milton Dantas, estabeleceu que a emissora de rádio ligada ao canal de televisão, também não poderá mais fazer o pós jogo como vinha ocorrendo anteriormente.
“Temos que cumprir o protocolo estabelecido em reunião e por esse motivo não podemos atender o pedido de zona mista, porém não vamos aceitar também, a emissora de rádio que estava atuando até o jogo passado, ficando somente após o término do jogo, o canal de televisão parceiro do campeonato”, decidiu Milton Dantas.
O presidente Alex Carvalho, o diretor social Adel Ribeiro, e o diretor Carisvaldo dos Santos ambos do Sindicato dos Radialistas, defendiam a proposta de existência da zona mista, porém entenderam a preocupação defendida pela FSF no tocante à pandemia do Covid-19 e aceitaram a sugestão que nenhuma emissora de rádio terá direito a tal regalia, determinando que, somente a emissora de televisão fará as entrevistas pós jogo e que, a assessoria de imprensa da FSF solicitará sonoras aos assessores dos clubes, para facilitar os trabalhos das emissoras de rádio.
“Levamos o pleito ao presidente da Federação, Milton Dantas, que entendeu o valor que tem a imprensa esportiva na divulgação do Campeonato e ele nos apresentou uma solução que foi a mais coerente, tipo, se a maioria não pode fazer, a única emissora de rádio também não terá o direito. Sabendo que, a nossa proposta foi de criação de uma “zona mista”, mas entendemos as alegações do presidente Miltinho, mediante o momento pandêmico que vivemos”, explicou o presidente do Sterts, Alex Carvalho.
Estiveram presentes, Milton Dantas (presidente), Reginaldo Gouvêa (Ascom FSF) e Gleyson Prado (diretor de competições). Já pelo

Sindicato dos Radialistas, o presidente Alex Carvalho e diretor social Adel Ribeiro, além  por Lagarto, Eron Márcio. A ACDS foi convidada mas não se fez representada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.